Saúde para todos no Haiti

“Antes de participar de “Bebês Bem-vindos”, eu ficava fechada em casa com meu filho doente”

Desde o terremoto que devastou Porto Príncipe em janeiro de 2010, é comum escutar “há um antes e um após 12 de janeiro”. Este sismo fragilizou mais ainda uma população urbana já muito pobre: desnutrição, epidemia de cólera, deterioração do ambiente sócio-econômico. ATD Quarto Mundo age num contexto de crise nos bairros mais desfavorecidos (Haut Martissant, Fontamara e Bolosse) para executar projetos a longo prazo que favorecem o acesso à saúde, ao desenvolvimento da criança, à educação, com a participação das populações mais frágeis.
Conheça a ação saúde da ATD Quarto Mundo no Haiti no vídeo.

Bebês Bem-vindos

ATD Quarto Mundo está presente no Haiti há mais de 30 anos. Com o projeto “Bebês Bem-vindos”, acompanha anualmente cerca de 160 crianças de 0 a 3 anos e seus pais. O objetivo é favorecer o desenvolvimento integral da criança (saúde, nutrição, psicomotricidade) e combater a desnutrição aguda- severa (MAS sigla em francês). O envolvimento dos pais é essencial. Com eles são abordadas questões relativas à saúde e ao desenvolvimento da criança e também questões como a importância dos registros de nascimento, a vida nos bairros. Os intercâmbios se apoiam nos conhecimentos e na experiência dos pais.

Esta ação se insere num contexto mais amplo visando especialmente à promoção de um serviço de saúde.

Estou feliz porque antes, não estava bem. Me diziam para não ficar sozinha. Desde que comecei a vir aqui, me sinto uma outra pessoa. As crianças são beneficiadas porque os pais não têm muitos meios para ajudar seus filhos. Além do mais temos um serviço de saúde que nos permite cuidar de nós mesmos.” – Jacqueline, mãe participante de Bebês Bem-vindos.

Para encontrar as famílias mais necessitadas e facilitar sua participação, são feitas visitas domiciliares regulares; essas visitas permitem também ter notícias das crianças que estão ausentes da atividade há algum tempo.

Assistência à doença via « Cartão de saúde”

Desde meados dos anos 90, ATD Quarto Mundo e uma ONG haitiana ( Serviço Ecumênico de Ajuda Mútua) uniram seus esforços para permitir às famílias mais pobres o acesso aos serviços de saúde. Esta parceria levou à criação do Centro de saúde Saint-Michel (CSSM) cuja gestão está a cargo do Serviço Ecumênico de Ajuda Mútua. Ao final dos anos 90, um sistema de assistência foi criado, reestruturado em 2012. As famílias se inscrevem mediante uma contribuição anual bem reduzida de 60 gourdes haitianos (0.87 euros) e recebem em seguida um cartão familiar, o “cartão de saúde”. Esta inscrição dá acesso a um “circuito de cuidados” sob a responsabilidade da CSSM para os cuidados primários e os cuidados secundários estão assegurados por outras estruturas do setor público e algumas instituições colaboradoras. Este circuito dá acesso aos exames habituais e aos medicamentos essenciais. Solicita-se uma contribuição a cada consulta – geralmente 25 gourdes (0.36 euros) – exceto para as crianças com menos de cinco anos para as quais as consultas são gratuitas.

Este sistema de saúde conheceu um verdadeiro sucesso. Em 2012, cerca de 3000 pessoas estavam cobertas por esse sistema e em 2015 havia cerca de 4000 beneficiários. A proporção de crianças atendidas com menos de cinco anos permanece constante, em torno de 18%.

Qual o futuro do “cartão saúde”? A eficácia deste dispositivo está provada. “Nos países pobres existem hoje provas contundentes que indicam que cobrar do usuário suas despesas agrava seu estado de saúde. Não há dúvida quanto a isso”. Jim Yon Kim (Presidente do Banco Mundial). É preciso encontrar novos colaboradores para ampliar e perenizar esta iniciativa voltada para as famílias muito pobres.

Em 2015, esta ação se beneficiou do apoio do CREDIT COOPERATIF que direcionou doações a título da “CVTC-Change Solidaire”, Contribuição Voluntária sobre as Transações de Câmbio, uma forma de financiamento inovador para o desenvolvimento que consiste em transferir a atores reconhecidos da ajuda ao desenvolvimento internacional 0,01% do montante total das operações de câmbio interbancárias tratadas pelo banco. Este dispositivo, inteiramente a cargo do banco, se insere em uma participação no financiamento dos Objetivos do Milênio para o Desenvolvimento(OMD). ATD Quarto Mundo é beneficiária da CVTC no período 2014-2016. As quantias assim coletadas são destinadas aos projetos de acesso à educação, à saúde e à participação dos cidadãos no Haiti. Elas são um apoio precioso ao desenvolvimento e à perenidade deste projeto.